CARCIANO: CAPITÃO DO TIME, JOGADOR MAIS EXPERIENTE E BOM BAIANO

O zagueiro abre o jogo sobre o futuro da carreira e a campanha da equipe no Campeonato Mineiro

O soteropolitano Carciano de Jesus Acácio completa, neste mês de maio, 39 anos de vida. Capitão do Coimbra durante o Campeonato Mineiro, o zagueirão está no Clube desde 2018 e participou dos dois títulos e acessos do Grande Time de Contagem. Na primeira divisão, ele foi autor do primeiro gol do time no torneio (veja o vídeo abaixo do empate em 1 a 1 com a URT na estreia) e jogou todas as partidas do time, exceto o confronto diante da Caldense, pela 8ª rodada, quando cumpriu suspensão. Jogador mais experiente do elenco e com bastante bagagem, ele analisa a campanha da equipe até aqui: “Nossa campanha no Mineiro, infelizmente, não era o que a gente esperava pelo grupo que temos e pelo planejamento que foi feito. Mas sabíamos das dificuldades que iríamos enfrentar. Ainda faltam dois jogos e não sabemos como vai ficar. Esse ano foi o primeiro do Coimbra na elite, não é fácil, mas acredito que com o planejamento e organização que o Clube apresenta tem tudo para conseguir seus objetivos, seja esse ano ou nos próximos”.

Foto: Henrique Chendes / Coimbra Sports

Carciano já disputou a primeira divisão do Mineiro por inúmeras vezes – esse é o décimo campeonato – e aponta o que para ele está sendo a grande dificuldade do time. “Na minha opinião foi o excesso de ansiedade e vontade de querer fazer as coisas dentro da partida, principalmente os gols, que talvez tenha sido a grande dificuldade nossa. Não vou falar de sorte, pois a gente se preparou muito para esse torneio”, afirma.

Particularmente, o zagueiro viveu uma gangorra de emoções nos últimos jogos do campeonato antes da paralização, em decorrência da pandemia do Covid-19. Em confronto diante do Tupynambás, na 7ª rodada, acabou sendo expulso em um lance de pênalti que culminou no gol de empate do adversário. E depois de cumprir suspensão, voltou e bem na vitória diante do Cruzeiro, na 9ª e última rodada antes da interrupção, que garantiu a 10ª posição da equipe na tabela de classificação e a saída da zona de rebaixamento.

Foto: Henrique Chendes / Coimbra Sports

“A partida do Tupynambás foi muito difícil para mim. Buscamos a vitória o tempo todo. No segundo tempo, o tão sonhado gol saiu e aí veio aquele lance crucial do pênalti e minha expulsão, que para mim foi injusta. Revimos o lance e pela nova regra não era para eu ter sido expulso. Fiquei muito mal com isso, pois poderíamos ter tomado a virada. Graças a Deus terminou empatado. Mas diante do Cruzeiro foi só alegria né. A tão desejada primeira vitória no campeonato veio, diante de um gigante que é o Cruzeiro. E pude fazer parte disso, de estar contribuindo ali na defesa, ajudando. Foi uma vitória pra todos nós: jogadores, comissão, funcionários e nossas famílias que esperavam tanto. Depois de muito tempo disputando o Campeonato Mineiro, foi a primeira vez que ganhei do Cruzeiro e a primeira do Coimbra também. Então, entrou para a história”, revela.

Foto: Henrique Chendes / Coimbra Sports

Carciano já é um dos grandes jogadores da história do Coimbra Sports. Além dos títulos e acessos, seu comprometimento nos treinamentos e entrega nas partidas falam por ele. São 41 jogos pelo Clube. E quem pensa que o zagueiro cogita pendurar as chuteiras ao final da temporada está enganado. “Estou em casa nesse período de isolamento social. Estou me dedicando aos treinamentos passados. Sempre fui um cara esforçado por onde passei e sempre procurei dar o meu melhor para ajudar o Clube. Ajudei o Coimbra a chegar à primeira divisão estadual e sei que o time quer mais, quer disputar uma competição nacional e espero fazer parte disso também. Fiz 39 anos e a forma está em dia. Eu vou até aonde Deus permitir. Enquanto eu estiver aguentando correr com os atacantes sem ficar para trás, eu vou jogar”, diz.